skip to Main Content
A IMPORTÂNCIA DA CALAGEM E GESSAGEM NA CULTURA DO CEDRO AUSTRALIANO

A IMPORTÂNCIA DA CALAGEM E GESSAGEM NA CULTURA DO CEDRO AUSTRALIANO

Eduardo Stehling, Biólogo e gestor de melhoramento da Bela Vista Florestal.

 

Talvez por ser biólogo, tendo trabalhado como professor por alguns anos, gosto de escrever para a Campo e Negócios textos que visam orientar os produtores de cedro australiano partindo de suas próprias dúvidas. Trabalhando agora com a extensão da pesquisa que ajudei a realizar, são essas dúvidas que eu apresento aqui em cada edição, como o uso de materiais genéticos superiores, a condução leve de desrama das plantas, o controle da mato competição, a qualidade da madeira, entre outros temas. Hoje vou abordar um tema clássico “Preciso fazer calagem no cedro australiano”?

Podemos desdobrar esta pergunta em outras variantes, mas a resposta mais correta é: “Depende do seu sítio de cultivo.”

Então antes de falar propriamente sobre a calagem e gessagem no cedro, vamos apresentar um apanhado de informações técnicas ao produtor para muni-lo de conhecimento básico sobre o tema:

-Os solos brasileiros, especialmente em regiões de cerrado são ácidos, principalmente devido aos elevados teores de alumínio, assim como os baixos teores de cálcio e magnésio.

-Em solos ácidos, a absorção de nutrientes pelas plantas é dificultada, sendo necessárias correções;

-A adição de fertilizantes amoniacais (nitrogênio) podem aumentar a acidez do solo;

-Acidificação pode ocorrer naturalmente devido a baixa fertilidade do solo ou devido a processos que favorecem a remoção dos elementos básicos (K, Ca, Mg, Na, etc);

-A forma que a correção acontecerá  é influenciada pela textura dos solos , pois solos arenosos e solos argilosos respondem de forma diferente à calagem.

-O crescimento das plantas promove naturalmente a acidificação do solo;

-Fazer uso da calagem é uma forma de adubação (com Ca e Mg) e não apenas correção;

-Fazer a correção do solo, permite disponibilizar nutrientes antes imobilizados pela acidez, aumentando a fertilidade geral das áreas;

-A maneira mais fácil, correta e economicamente viável para se corrigir a acidez do solo, principalmente na camada arável, é através da prática da calagem.

-A calagem também corrige a toxidez por alumínio e manganês no solo, aumentando sua atividade biológica.

-Calcário não é tudo igual!!! Existe um tipo certo para correção da sua área e está relacionado com o teor de Ca e Mg;

-Super calagens aumentam muito o pH do solos, indisponibilizando micronutrientes.

Apresentadas algumas premissas básicas sobre o tema, agora podemos discutir um pouco sobre a importância da calagem e gessagem na cultura do cedro australiano. Importantíssimo lembrar que grande parte das informações colocadas aqui foram obtidas através do Programa de Melhoramento do Cedro Australiano, desenvolvido pela Bela Vista Florestal, com o apoio da Ufla.  O Prof. Furtini Neto e colaboradores, realizaram mais de uma dezena de trabalhos com a espécie, ajudando a desvendar informações básicas sobre sua nutrição e cultivo.

O cedro australiano é uma planta sensível à acidez do solo e a presença de alumínio. A cultura terá um desenvolvimento inferior em comparação ao seu pleno potencial de crescimento, dependendo da acidez e da disponibilidade de alumínio no solo. Daí a necessidade da calagem na fase de implantação, que para o cedro corresponde aos 3 primeiros anos da cultura.

Solos bem corrigidos muitas vezes não necessitam de correções anuais, entretanto solos brutos precisam ser acompanhados anualmente até se criar um ambiente radicular adequado para as plantas.

Para saber como deve ser feita a calagem das áreas para o estabelecimento ou manutenção da cultura, deve-se fazer análises de solo anuais durante o inverno. Realiza-se amostras compostas de solo nas profundidades de 0-20 cm e 20-40 cm dentro do talhão. Devem ser analisados parâmetros de fertilidade, acidez potencial, alumínio, matéria orgânica, textura do solo, enxofre, boro e zinco. Coloco os parâmetros desta forma pois existem centenas de laboratórios e pacotes de análises. Os pacotes básicos diferem entre os laboratórios, por isto o produtor deve ficar atento ao que deve ser analisado. É fundamental que o produtor se informe junto a um técnico ou agrônomo pois sem uma coleta de solo bem feita e os parâmetros corretos analisados, as vezes não é possível fazer um bom diagnóstico da propriedade.

Resultados experimentais realizados em campo e em casa de vegetação mostraram que o V% (saturação por bases) da cultura do cedro é de 60%. Valores de V% (0-20 cm) abaixo de 60% necessitarão de correção. Sendo a cultura sensível ao alumínio, o m% (saturação por alumínio) deve estar entre 0% e 10% para boa produtividade. É muito importante que relação Ca/Mg esteja entre 3 à 4 partes de cálcio, para 1 de magnésio.

O método mais usado atualmente para determinar a necessidade de calcário de uma área é o método da saturação de bases. A quantidade de calcário a ser jogada será calculada a partir da diferença existente entre o V% da cultura e o V% do solo na camada de 0-20 cm. Após determinada a necessidade de calcário, é possível escolher o tipo de calcário correto para otimizar a relação Ca/Mg, mudando-a ou mantendo-a. Assim o ganho é máximo na operação. O uso do calcário inadequado pode piorar a relação Ca/Mg.

Sugere-se o uso de gesso agrícola sempre que na amostra de 20-40 cm, o m% for superior a 20%, ou o cálcio estiver muito baixo (menor ou igual a 0,5 cmolc/dm³) ou o alumínio estiver maior que 0,5 cmolc/dm³. A necessidade de gesso depende da % de argila desta amostra. Quando indicado, o gesso reduz o teor de alumínio tóxico no subsolo, aumentando também os níveis de cálcio e enxofre em camadas mais profundas do solo, sem mexer no pH. O enxofre é um elemento essencial para o cedro australiano, não podendo faltar numa nutrição balanceada.

A eterna dúvida dos produtores é: “Tenho que fazer calagem ou gessagem todo ano?”. A calagem realizada no plantio é a mais importante, pois é a fase em que a planta está se estabelecendo. Se as análises de solo dos anos seguintes mostram necessidade de correção, esta deve ser feita, a fim de perseguir os parâmetros adequados de produção da cultura. O cálcio é o nutriente mais acumulado em plantas de cedro australiano, entrando principalmente na constituição da parede celular das células vegetais. O magnésio entra na composição da molécula de clorofila, fundamental na fotossíntese. Estes nutrientes nunca podem faltar ou se apresentarem em baixos níveis na cultura. Considerando desta forma, a calagem cumpre nos anos seguintes importante papel na adubação do cedro e não apenas na correção do pH do solo, como normalmente o produtor considera.

Na produção de madeira nobre, a produtividade é o maior diferencial para se obter rentabilidade. Sem uma nutrição adequada, a produtividade pode ficar comprometida. Adubações apenas com nitrogênio não proporcionam um desenvolvimento adequado para a cultura. Procure um agrônomo para orientá-lo. As práticas da calagem e gessagem podem ser o diferencial e a resposta que faltava para muitos problemas no seu plantio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top